domingo, 26 de junho de 2011

181009

Era algo diferente, era algo que eu não conseguia explicar. Não foi algo que surgiu do dia para a noite, foi algo que demorou algum tempo para ser construído. Não encontrava imperfeições. Os feitios eram iguais. As maneiras de pensar eram parecidas. A ajuda era mútua. Quando uma ficava mal, a outra ficava também. Não precisavam de falar todos os dias para saberem que estariam sempre ali uma para a outra. Não precisavam de se ver todos os dias para fortalecer a amizade. As poucas vezes que estavam juntas apagavam os meses que por vezes ficavam sem se ver. Quando uma delas ficava sem razão para viver, a outra mostrava mil e uma razões para ela agarrar-se à vida. Quando já ninguém acreditava na capacidade de alguma, a outra estava lá sempre a dizer "eu acredito em ti". Quando uma chorava, a outra estava lá para secar as lágrimas. Quando uma estava feliz, a outra dava ainda mais motivos para essa felicidade. Quando uma tinha, a outra também tinha que ter. Quando uma estava mal, a outra sentia-se ainda pior. Quando uma discutia, a outra discutia ainda mais. Quando uma tinha todos os motivos para dizer "tu és a minha melhor amiga", a outra dava-lhe motivos para dizer "tu ainda és mais do que isso". E assim se construiu algo que não tinha explicação. Ficava sempre algo por dizer. Ao mesmo tempo, não ficava nada por dizer, porque tudo o que não se dizia, era demonstrado através de gestos.Nenhuma delas eram perfeitas, apenas completavam-se da maneira que eram. Não eram as pessoas mais queridas, mas conseguiam mostrar uma à outra, o que nunca conseguiriam demonstrar a mais ninguem. Ninguém as entendia, mas elas entendiam-se na perfeição. Não discutiam por nada nem por ninguém, pois tudo o que construíram era superior a tudo o resto. Não ligavam a opiniões dos outros, pois tinham cabeça suficiente para perceberem o que está certo ou errado.


Mas há sempre um "mas" e esta bonita história não foi excepção. Os bons momentos tornaram-se em menos bons, as discussões começaram a surgir, os dias sem falar eram mais do que aqueles em que falavam, as opiniões tornaram-se diferentes, os dias em que estavam juntas desapareceram e toda a gente conseguiu meter-se naquela que era a melhor amizade de todos os tempos. Com o tempo, isto foi-se tornando cada vez mais frequente até que houve uma última discussão. Uma discussão que pôs um fim a essa tão bela história.Sei que nunca irás ver isto, mas fazes-me imensa falta, foste a única amiga que me fez chorar por a ter perdido. Sei que também deves estar mal por causa disto, mas eu não posso ir atrás. É contra o meu feitio, é contra o nosso feitio ir atrás de alguém. Prometemos um "Sempre" uma à outra e estragámos isto. Quebrámos a promessa. Seja um fim ou não daquilo que construímos, eu vou estar sempre contigo, vou sempre procurar saber se estás bem e irei atrás de quem te fizer mal. 181009.

1 comentário:

  1. "A amizade que acaba não foi verdadeira"
    será este o caso? creio que não, nunca desistas por uma amizade verdadeira, por vezes essas é onde haverá mais discussões, brigas a até mesmo "um adeus", mas esse adeus nunca é bem um adeus é sempre um "até já", as verdadeiras amizades, nunca acabam, dia menos dia, acaba sempre por vir ao de cima novamente, e passar momentos como nunca passados.

    ResponderEliminar